sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Winx Club 6x17: La Maledizione di Fearwood




Adorei o episódio! Teve um enredo interessante e envolvente com foco no casal preferido da maioria dos fãs (meu 2º preferido).
O enredo dos lobisomens me agradou e a atmosfera da cidade estava ótima. Amo episódios noturnos!
Helia estava bem apagado nessa temporada e merecia algum destaque, mas achei o conflito entre ele e Flora meio sem sentido. Não era pra tanto. Mas só vendo dublado pra ter certeza se ele exagerou na reação. De qualquer forma, era preciso um conflito para dar andamento ao enredo e esse fez com que ele precisasse provar algo a si mesmo, o colocando no "radar" da Icy.
O aparecimento de Icy como Rainha da Neve foi o ponto alto do episódio. Quem não leu nenhuma sinopse teve o prazer de se surpreender. Pena que não foi o meu caso...
As cenas de Icy e Flora no mundo do Legendarium foram lindíssimas. Ansiosa para ter esse episódio em HD.
Sobre o novo figurino, gostei dos modelos, mas novamente temos as mesmas cores em todas. Detesto esses figurinos combinando! Parece que elas não tem mais personalidades próprias. E outro detalhe chamou minha atenção. Só elas estavam vestidas para esse frio todo na cidade. Pareciam até turistas desavisadas. rs
De resto, adorei a brincadeira do Riven. Estava com saudade delas... Mas não compreendo essa obsessão por treinamento que criaram para ele nessa temporada. Sei que é difícil criar novos enredos sem ficar repetitivo, mas esse não conseguiu me convencer. Tudo bem que ele ficou com a arma mágica mais sem graça e difícil de controlar, mas ele já demonstrou em batalha que está adaptado a ela. Então as únicas opções que encontro para essa obsessão seriam uma influência maléfica da arma ou uma desculpa para se afastar da Musa. De qualquer forma, o que mais me incomoda nesse enredo não é a atitude do Riven e sim da Musa. Ela está muito passiva. Nem parece a Musa que conhecemos e amamos. Mas sabemos que todo enredo, coerente ou não, ocorre em prol de um desfecho. Só espero que o deles não seja tão sem graça quanto o boomerang do Riven.